Pular para o conteúdo principal

Leitura Digital: As Aventuras de Pinóquio - Carlo Collodi


E aí galerinha?! Volteeei, e com novidade na área! Como havia postado aqui iria estreiar uma ~~coluna~~ de ebooks + download, o que já tinha por aqui, só que de forma mais organizada. Como sou muito criativo vai ficar esse nome, até pensar em um melhor ou até mesmo vocês sugerirem.
Faz um tempo que desejo ler esta obra, que vi no Leitor Compatilhado (ainda no tempo que tinha pre-resenha saudades) MAS desde então não consigo encontrar em lugar nenhum, e a editora não responde os emails. Resultado: VAI EBOOK MESMO!!!
Ah, infelizmente hoje SÓ HOJE não vou colocar o download por motivos de força maior, mas quem quiser deixe o email nos comentários que envio sem problemas.
Faz tempo que não abro um PDF nem sabia mais o cheiro (OPA!), tava esperando meu Kobo mas acho que ele ainda não descobriu o caminho aqui de casa :(

Chega de mimimi vamos ao que interessa. QUEM neste mundo nunca ouviu a história do menino de madeira, que ao mentir o nariz cresce? QUEM nunca ficou amedrontado por isso na infância com medo de mentir e ganhar orelhas de burro? (euzinho morria). Não tem tanta coisa para falar da sinopse que todos conhecem, mas para não se perderem:

Pinóquio é um pedaço de madeira encontrado por Mestre Cereja, esculpido por Gepeto e que ganha "vida", muito levado se mete em MUITAS confusões, odeia a escola e tem o sonho de virar um menino de verdade.


~
"Uhmmm ok, quer dizer que perdi meu tempo lendo algo que já sabia?" Claro que não, Keep Calm querido leitor. IMPOSSÍVEL falar dele e não citar a mais famosa adaptação, feita pela Disney em 1940. Provavel que a maioria conheça essa versão disneyana, não quero desapontá-los mas: É TOTALMENTE diferente do livro. ":O COMO ASSIM????" É isso mesmo. Digamos que seja uma versão "alternativa" mais fofinha e superficial da obra de Collodi.

O livro é infantil, mas tem umas pitadas de maldade até bem realistas e que chocariam uma criança de sei lá, uns 10 anos. Apesar de gostar dessas coisas confesso que levei um susto no enredo ser assim, tão novo, e igualmente encantador. No início Pinóquio é um mothafoca delinquente, foge de casa, apronta com Gepeto que vende até as tripas para ver o filho bem e chega a dar raiva do boneco. Só que depois ele "paga" tudo que fez desde que "nasceu" e a pessoa tem complacência, aparecem umas lágrimas assim bem disfarçadas, aquele cisco básico sabe? 
Algumas pessoas se incomodam com as lições de moral, a ética e tal, mas temos que lembrar uma coisa:

- Livro infantil
- Contexto da época bem diferente de hoje em dia
- Livro infantil

Sim, ás vezes irrita essa utopia, mas tendo em mente esses conceitos dar para entender o motivo.

Livro X Filme:

As diferenças são grandes, a começar pelo aspecto de alguns personagens, "erros" de continuação, personagens extra e o destaque de alguns. 

- Pinóquio fala desde a primeira página do livro quando ainda é um pedaço de madeira irregular, enquanto no filme ele só vem ter vida depois da fada azul aparecer;

- Mestre Cereja foi "excluído" do filme, ele quem descobre a madeira falante, um dos principais e TCHAU NÃO TEMOS LUGAR PARA VOCÊ;

- A Fada Azul originalmente tem CABELOS azuis, é branca linda e perfeita. No filme ela é loira e tem A ROUPA azul;


- O Grilo Falante só aparece 3 ou 5 vezes no livro, já no filme ele é coadjuvante;


- O gato e o peixe (não lembro o nome, sorry) não existem no papel, apenas no filme;


- Gepeto é pobre, mas no filme ele aparece com condições boas, não diria rico, mas "vive bem".

Apesar das diferenças e a falta de detalhes, a adaptação Disney é igualmente linda. Não lembrava de ter assistido (deveria ter uns 3 anos quando assisti a 1° vez) e foi uma surpresa "rever" agora. Ri bastante, me emocionei e entrou junto com o livro para a listinha de favoritos. 

E não é só isso: Por aqui a obra ganhou adaptação de ninguém menos que Monteiro Lobato, com o personagem aparecendo no Sítio do Picapau Amarelo; A.I: Inteligência Artificial, um filme de Spielberg tem fortes influências, onde o personagem principal, um robô quer se tornar humano a todo custo.

Voltando ao livro, vamos a nota:


Estaria cometendo um crime se avaliasse com menos de 5, e sem dúvidas: FAV. Leitura leve, mágica e ideal para qualquer dia, independente do seu humor, pois emociona, faz rir, distrai e ensina algumas coisas meio que "subliminarmente".

Melhor cena