Hora de Ler: O Jantar - Herman Koch


Esse talvez seja o livro mais aleatório e rápido que li até agora, continuem lendo e descubram o motivo.
Todo livro tem uma sinopse para chamar a atenção do leitor, pelo menos era isso que eu pensava.
Me recomendaram a leitura da obra sem saber de nada nem procurar do que se tratava, e confesso que mesmo lendo a sinopse depois não adiantou muita coisa.

A história geral gira em torno de uma noite de jantar (oh, serious?!) em que dois irmãos e suas esposas aparentemente sem motivos vão para esse restaurante. Somos jogados na trama como se já conhecessemos todos e muito aos poucos em meio a divagações (até desnecessárias as vezes) são apresentados detalhes da vida de cada um e o livro vai voltando, até chegar o dia do Jantar, explicando o motivo e tendo uma história que não é aleatória, a trama se forma de trás pra frente isso no começo para se acostumar desafia a mente da pessoa.

A imagem da família perfeita e feliz, morais e bons costumes são colocados a prova na obra, elevados a outro nível que chega a intimar o leitor para aquilo se tá certo ou errado, Paul o narrador dos fatos vai nos entregando pequenas peças intercalando passado, presente e coisas de sua mente. Isso faz com que sempre fique uma dúvida no ar dando vontade de devorar o livro, sentindo uma pressa descomunal para descobrir o que se passa.

~

Até agora estou confuso.  Não sei dizer se amei ou odiei a obra, a escrita do autor é única, ele sabe provocar. Provocador seria a palavra pra esse livro que além de um page turner (prende o leitor e você não dorme até descobrir o que tá acontecendo) tem uma estrutura bem inovadora, nunca tinha lido nada do tipo antes, mesmo se tratando de thrillers psicológicos.

Fui sem expectativa nenhuma (até por não saber do que se tratava) e no geral foi uma experiência bacana, o que me irrirtou foi todo esse mistério sendo segurado por tantos capítulos e o final "okay" não ficou em aberto, mas também não teve AQUELA resolução, o que também me tirou do sério como disse no começo foram as divagações DESNECESSÁRIAS sobre o personagem principal e narrador ter abandonado a carreira de professor, são uns 5 (grandes) capítulos com essa ladainha que no final não levou a lugar nenhum.

A parte boa é que os capítulos são pequenos, a leitura é super rápida, mesmo com algo que passa a impressão de nunca ser revelado é uma ótima dica para se entreter numa fila de banco por exemplo, ou mesmo num fim de tarde apesar de não ser tão "leve" assim.

Os quotes são de uma peculiaridade incrível, isso logo no começo da obra.

"[...]A infelicidade adora companhia. A infelicidade não suporta o silêncio.[...]"
"[...] Não importa o que faça, você não é livre. Você se barbeia, mas não é livre. [...]"
"Cada família é infeliz da sua maneira"

3 estrelas pela confusão em que me deixou, uma história boa, um jeito novo de abordar a narrativa e por prender tanto a atenção merece ser lido.






O Jantar, de Herman Koch é composto por 256 páginas, comercializado pela Editora Intrínseca e a venda em todo país.