Pular para o conteúdo principal

Hora de Ler: Léxico - Max Barry


Faaala galerinha! Hoje tem thriller com muita ação, e envolvendo "palavras" prato cheio pros viciados em livros!
Como prometido voltei com post novinho para vocês, confesso que demorei um pouco com esse livro e mais abaixo confiram o que achei disso tudo.

Uma organização treina jovens talentosos para controlar a mente e o comportamento das pessoas usando combinações específicas de palavras. Os iniciados deixam suas verdadeiras identidades para trás e passam a usar nomes de poetas.

Identificada como um prodígio na arte da persuasão, Emily Ruff, que ganha a vida com truques de cartas nas ruas de São Francisco, é enviada para o treinamento em uma escola da organização e começa a aprender a técnica letal. Quando os líderes da instituição descobrem que ela está se envolvendo com outro aluno, Emily recebe uma missão aterrorizante.

Wil Parke, carpinteiro, sofre de amnésia. Um dia ele já soube o significado da palavrárida, um artefato com o poder de colocar o planeta em risco. No entanto, não lembra mais. Wil é sequestrado por dois agentes brutais, que acabaram de matar sua namorada, desesperados para impedir que um membro da organização, de codinome Virginia Woolf, cause uma grande destruição.

~

Para começar desde o anúncio que esse livro seria traduzido fiquei louco pois sou fã do autor, mas digamos que rolou uma pequena decepção vamos por partes.

- O plot (ideia principal) é maravihosa, inovadora MAS não foi muito bem desenvolvida
- Narrativa confusa DEMAIS
- Muitos mistérios e poucas resoluções

O livro começa num ritmo muito frenético sem você saber de nada, quem é Will, o que estão fazendo com ele e o motivo. Simplesmente começa e as peças vão (muito lentamente) se encaixando no decorrer da leitura, típico de thriller; aparentemente duas histórias* são contadas mas não é bem isso que acontece... Até a metade esse ritmo continua, depois a leitura fica cansativa com descrições detalhadas dos lugares, bem enchendo linguiça mesmo.

*não é spoiler: (só depois de concluir a leitura atentei ao fato de que uma das histórias é contada no passado, e a outra mostra os estragos da palavra no presente)

Senti que o autor se perdeu novamente como nos livros anteriores mas aqui o tombo foi feio, gostei do livro só que esperava outra coisa, primeiramente esperava ENTENDER a narrariva mas aí o livro acaba e ficam vários buracos, várias perguntas a serem resolvidas, o que muitos leitores tem relatado em resenhas. Tem algumas reviravoltas mas que não "compensam" a leitura por assim dizer.

Fica difícil dar mais de 3 estrelas a obra, sempre sou do contra e AMO os livros do cara, mas dessa vez não funcionou comigo :(


Outros livros do autor que passaram por aqui:

Homem-Máquina
Eu S/A

Léxico de Max Barry é composto por 368 páginas, publicado pela Editora Intrínseca e á venda em todo país.