Hora de Ler: Deuses Americanos - Neil Gaiman


E aí galerinha, tudo certo?! De volta com uma das melhores leituras que fiz esse ano, sem exageros. Bora conferir?

A saga de Deuses americanos é contada ao longo da jornada de Shadow Moon, um ex-presidiário de trinta e poucos anos que acabou de ser libertado e cujo único objetivo é voltar para casa e para a esposa, Laura. Os planos de Shadow se transformam em poeira quando ele descobre que Laura morreu em um acidente de carro. Sem lar, sem emprego e sem rumo, ele conhece Wednesday, um homem de olhar enigmático que está sempre com um sorriso no rosto, embora pareça nunca achar graça de nada.

Depois de apostas, brigas e um pouco de hidromel, Shadow aceita trabalhar para Wednesday e embarca em uma viagem tumultuada e reveladora por cidades inusitadas dos Estados Unidos, um país tão estranho para Shadow quanto para Gaiman. É nesses encontros e desencontros que o protagonista se depara com os deuses - os antigos (que chegaram ao Novo Mundo junto dos imigrantes) e os modernos (o dinheiro, a televisão, a tecnologia, as drogas) -, que estão se preparando para uma guerra que ninguém viu, mas que já começou. O motivo? O poder de não ser esquecido.

~

Novamente me encontro na situação de não saber por onde começar de tão bom que foi o livro...
Mas então, a história começa bem morna com Shadow saindo da cadeia e de repente (de repente mesmo) aparece Wednesday cheio de mistérios e um novo emprego para o cara, já que a esposa e seu melhor amigo que iria lhe oferecer um emprego na academia morreram.

Claro que tem muuuuuuuuuuuuuuito mais acontecimentos do que isso, a maneira como é mostrada as viagens de Shadow com Wednesday lembra bastante algo como Os 12 Trabalhos de Hércules só que bem mais interessante, insano e moderno. A mão da magia pesou e Gaiman conseguiu mesclar com a realidade de tal maneira que muitas vezes me perguntei "qq tá acontecendo?" cheio de reviravoltas e um final nada previsível esse livro foge do normal mostrando para o que veio.

A narrativa é dividida entre o presente de Shadow e como os deuses chegaram a América, que NA MINHA OPINIÃO é a única parte chata do livro que não pode ser ignorada pois faz parte do contexto, são interlúdios que na série foram melhor explorados.

Um dos temas recorrentes na obra são as relações familiares (de um modo bem geral para situar vocês), tem também a questão de aceitação, sexualidade, espiritualidade, vida após a morte, amibição dentre outras coisas. O legal é a chuva de referências jogada na sua cara durante a leitura; os novos deuses (mídia, internet, Burguer King) contra os antigos das mitologias que conhecemos e outras nem tão conhecidas assim.

É o tipo de livro que te deixa intrigado desde o primeiro momento e vai desenrolando as coisas beeeem aos poucos, você precisa estar atento senão vai acabar a leitura com mais dúvidas ainda, é daqueles que já começam "no meio" por assim dizer. Talvez esse recurso o tenha tornado único no mar de fantasias que encontramos por aí hoje em dia.


Posso dizer com clareza que é diferente de tudo que você já tenha lido, pois mistura ação, mistério (muito mistério) fantasia, ficção científica, mitologia e tem lugar até para humor aqui deixando difícil definir com clareza o gênero da obra e dessa maneira agradando todos os nichos de uma só vez. Demorei a ler sim pois tinha medo de não entender as referências aqui exploradas, confesso que muitas lendas e deuses passaram batidos pois eu de fato não conhecia, mas nada que atrapalhe a leitura, não da maneira como imaginei.

Ao contrário do que muitos dizem a leitura flui de uma maneira inexplicável, o livro é grande com suas quase 600 páginas, mas acaba e você fica querendo mais. Não é como certos clássicos em que você "venceu" ao terminar, muito pelo contrário pois o ritmo aqui voa!

Um aviso que dou aos navegantes de primeira viagem é que leiam algo de Gaiman antes de embarcarem nessa nave louca que é Deuses Americanos, esse talvez seja o motivo dos muitos abandonos e críticas infudadas que a obra vem recebendo após seu boom nas redes sociais. A questão nem é de escrita, longe de mim subestimar alguém, mas o tipo de história contada aqui muitas vezes precisa "estar no clima" para entender a proposta do autor PRINCIPALMENTE se você for daqueles leitores mais chatos pé no chão que querem explicação para tudo. Se for um desses as chances de odiar o livro são grandes, então passe longe pois o fantástico aqui não tem limites.

Sem dúvidas 5 estrelas + FAV para essa maravilha!

Tem a série também produzida pelo Starz, exibida pela Amazon que tá INCRÍVEL! Não tenho muito o que falar por estar muito fiel ao livro, tão perfeita quanto super vale a conferida.


Comentários