Os melhores livros de 2018


Olá galerinha, tudo bem? Como tradição eu não poderia deixar de fazer uma retrospectiva das melhores leituras do ano, dessa vez será em texto, mas quem sabe com mais tempo eu refaça não é mesmo? Chega de conversa e vamos ao que realmente interessa!


Foi difícil criar essa lista dado que 2018 GRAÇAS A DEUS e aos autores também, foi um ano de gostosas leituras, salvas algumas obras que não me agradaram mesmo porém foram poucos os casos.
A ordem está do mais fraco ao mais incrível só por questão de logística mesmo pois amo igualmente TODOS dessa lista.

10. The Outsiders - Vidas sem rumo - S.E. Hinton



Foi difícil escolher a décima posição. Esse livro me cativou bastante mas ainda assim faltou algo para ser O livro da minha vida, diferente dos que irão aparecer mais a frente. Sem dúvidas merece toda atenção e respeito, não fosse por ele eu não estaria lendo meus autores favoritos de hoje em dia.


9. Pequenos Incêndios por toda parte - Celeste Ng



Definitivamente irei ler qualquer coisa que essa mulher lançar, sempre! Desde o primeiro livro me apaixonei e com esse não foi diferente, trama tensa, bem construída, final coerente... Quem não ama um thriller bem escrito não é mesmo?!




Uma grata surpresa no ano de 2018 foi esse clássico existencialista, livro altamente depressivo, final triste e tudo o que não presta mas que eu amo. Me pegou de jeito, chorei, marcou e por isso está aqui, leitura RECOMENDADÍSSIMA!




No maior clima de eleição, facismo e Ele Não, esse clássico (mais um) veio em ótima hora. Nem tenho muito o que dizer, só que: LEIAM!




Mattthew Quick é um autor que funciona muito comigo, nunca desaponta e os livros sempre tem algo á acrescentar, algum ensinamento escondido na narrativa e aquele jeito gostoso de contar histórias. Esse não foi diferente e com uma homenagem gritante ao Apanhador no Campo de Centeio não poderia ficar de fora.




Esse ano me dediquei aos Sick-Lit e ainda assim acho que li poucos. Nunca imaginei que um livro com um tema tão pesado como suicídio poderia ser hilário, sem deixar de lado a carga algumas vezes. Ao mesmo tempo sarcástico e informativo se mostra um livro muito necessário mas que infelizmente não foi publicado no brasil AINDA.




Continuando na temática suicida, esse livro me despedaçou de várias formas. A autora foi muito feliz em abordar o tema de forma crua, sendo muitas vezes cruel com a personagem sem largar a realidade, o que me deixou até assustado em alguns momentos. Mais um daqueles que se mostra necessário durante a fase mais conflitante da vida que é a adolescência.




É peso que você quer? Aqui o autor retrata o fato de estar no armário de um modo real, onde envolve parentes que frequentam a igreja e abominam homossexuais, nada de utopia Albertalliana com flores e amor por toda parte, aqui o bagulho é hard! Por esse motivo o autor me cativou, além de ser um fofo na vida real onde segue os fãs e interage com todos, Angelo é uma grande aposta no mercado editorial.




Foi MUITO difícil decidir entre ele e Blending In por terem me marcado tanto. Aqui temos mais um livro pesado com temática LGBT e um tanto quanto Black Mirror: num futuro próximo as pessoas tem a data da morte marcada e se encontram numa espécie de Tinder sombrio. Deu super certo, foi super elogiado lá fora e é mais um que deveria ter sido traduzido mas ainda não tem por aqui.




Vocês tinham alguma dúvida sobre o primeiro lugar? Eu não. Desde que comecei esse livro tive CERTEZA de que era o melhor do ano antes mesmo de terminar, a surpresa foi no final que só confirmou minhas suspeitas. Livraço que infelizmente poucos falam e merece toda atenção principalmente agora nessa posse do novo presidente eleito.

Menções Honrosas:

Aqueles livrinhos maravilhosos que fizeram meu ano melhor mas que não entraram no Top 10, são eles:


E para vocês, quais os destaques desse ano? É bom que podem surgir ótimas indicações!

Comentários