Hora de Ler: Diga Aos Lobos que Estou em Casa - Carol Rifka Brunt


E aí galerinha?! Preparem os lencinhos pois a indicação de hoje promete.
Desde quando vi na lista de lançamentos da Novo Conceito enloqueci na capa linda, e realmente não conhecia nem fazia ideia do que o livro iria tratar. Foi uma surpresa positiva.

June Elbus é uma menina introspectiva fã de RPG, literatura medieval e vive "em outra época" quase como uma viking em plena Nova York de 1985. Greta sua irmã é 2 anos mais velha e junto com a adolescência tem mudado muito o modo que trata June, as duas antes melhores amigas agora só vivem trocando farpas.
June tem dificuldade em fazer amizades pois para ela só há uma pessoa no mundo que realmente importa: seu tio Finn.



A amizade deles é linda porém Finn tem AIDS e está em seus últimos dias, ele não fala sobre isso com June mas todos na família (exceto ela) sabem do caso. Até que chega o dia em que Finn morre, a menina fica num luto eterno e conhece mesmo sem querer Toby, um cara misterioso que promete ajudá-la.
Como é muito inocente e ninguém da família lhe conta nada, ela aceita a "amizade" de Toby porém além dele ser "o resposável" por ter passado AIDS para Finn, NINGUÉM na família o suporta mantendo assim uma amizade secreta com ele.

~

Resolvi parar logo na sinopse senão falo demais e estrago as supresas (que são muitas) quando vocês forem ler. Num primeiro momento a história parece muito simples porém engana-se ao iniciar a leitura. Com uma atmosfera pesada e ao mesmo tempo "juvenil" Carol Brunt consegue nos prender de tal maneira que fica difícil querer largar o livro, os capítulos curtos também ajudam e na verdade ela nos põe para pensar em muita coisa, a sensibilidade da autora é incrível.


O tema central são os confrontos familiares entre Greta e June, a amizade dela com o tio, os pais corretores que na época dos impostos ficam ausentes por meses, a aceitação da sociedade naquela época com os gays e ainda mais a AIDS que estava "sendo descoberta"... Enfim, como disse a narrativa é bem pesada. É chato falar de um livro que você gostou tanto sem dar spoilers, sem estragar estou tentando mas vamos lá.

June é muito sensível, ingênua e não conhece nada do mundo, faz o trajeto casa-escola-casa de finn e depois que o tio morre que ela começa a desbravar o mundo. Ela nutre uma paizão com a música clássica através de Finn que apresenta O Requiém de Mozart. A questão dela com Greta é devidamente explicada perto do final, o motivo e o diálogo delas é lindo só digo que chorei horrores.
Nos dias finais de Toby acontecem reviravoltas junto com isso e mais lágrimas...


A ilustração da capa é devidamente explicada (não diretamente, mas só juntar as peças e resolver), assim como o título. O trabalho de diagramação tá impecável, fonte agradável em papel pólen, nos inícios de capítulo tem um detalhe como se fossem ramos, e só uma coisa que incomoda um pouco é o peso do livro na hora de segurar. Embora seja "grande" a autora não enrola com detalhes, pelo contrário tem MUITA história.

Diagramação
5 estrelas pela história LINDA, bem construída e que ficará por muito tempo na memória. Quem gosta de tramas delicadas precisa conhecer esse livro urgente.

Diga Aos Lobos que Estou em Casa de Carol Rifka Brunt, é composto por 464 páginas, publicado pela Editora Novo Conceito e á venda em todo país.