Hora de Ler: Mosquitolândia - David Arnold


Faaala galerinha! De volta com um super lançamento da Intrínseca, para quem não dispensa um bom drama adolescente ccom pitadas de humor e muita tragédia num mix perfeito.
Então vamos conhecer melhor o livrinho que me tirou de órbita mas de uma forma boa, me prendeu de um jeito que até na hora de descer do bus eu tava lendo kkkkk, uma mistura louca de sentimentos sei nem por onde começar;


Após o inesperado divórcio dos pais, Mim Malone é arrastada de sua casa em Ohio para o árido Mississippi, onde passa a morar com o pai e a madrasta e a ser medicada contra a própria vontade. Porém, antes mesmo de a poeira da mudança baixar, ela descobre que a mãe está doente.

Mim foge de sua nova vida e embarca em um ônibus com destino a seu verdadeiro lugar, o lar de sua mãe, e acaba encontrando alguns companheiros de viagem muito interessantes pelo caminho. Quando a jornada de mais de mil quilômetros toma rumos inesperados, ela precisa confrontar os próprios demônios e redefinir seus conceitos de amor, lealdade e sanidade.

~

Mais uma vez: não sei o que falar do livro. Uma leitura muito agradável, cheia de temas depressivos, questões que põe amizade a prova, alguns tópicos pesados como abuso de menores, suicídio, divórcio, auto aceitação e os problemas clássico de todo adolescente.


O ponto alto do livro são as amizades que MIM faz durante seu percurso em busca de sua querida Mãe que supostamente a abandonou depois de ser trocada pelo marido. O livro alterna entre passado e presente de uma forma muito sutil que ás vezes nos perdemos mas nada que atrapalhe a leitura de jeito nenhum.
Começamos com Arlene uma senhorinha que faz companhia a menina no ônibus e termina como a maior ídola dela, até o final a menina menciona a sra simpatica com que fez amizade, em seguida temos Beck o crush gatinho de MIM que a ajuda num ponto crucial da história, outro personagem importante é Walt um menino autista que ela conhece quando sai em busca de carona. Uma coisa legal do livro são as tramas que surgem de acordo com o que nos é apresentado, só posso dizer que: É MUITA TRETA.

Capa continua

O final surpreende positivamente, graças a deus que não fica nada em aberto e você abre o sorrisinho mais bobo que tem guardado de satisfação pela narrativa incrível que David Arnold construiu em meio a 380 páginas, e que em nenhum momento se tornam cansativas ou coisa do tipo, pelo contrário ficamos surpresos aquele sentimento de "já?". Parece besteira mas me senti íntimo dos personagens e até o momento to bem perdido quando se tratam de próximas leituras, vai ser difícil um livro me cativar desse jeito de novo.

A edição tá incrível com uma capa contínua do que parece ser papel reciclado pela textura, um cheiro maravilhosoooo, páginas amarelas, fonte agradável e com ilustrações ao longo da história. Parece mesmo um diário.


Precisa mesmo dizer que 5 estrelas?!


Mosquitolândia, de David Arnold é composto por 352 páginas, publicado pela Editora Intrínseca e a venda em todo país.