Hora de Ler: O Olho do Mundo (A Roda do Tempo #1) - Robert Jordan



Olá leitores do Tedio!

Hoje vou trazer para vcs a resenha do livro 1 de A Roda do Tempo, O Olho do Mundo. Já comentei um pouco sobre a série nesse post, daqui em diante vai ser só resenha dos livros mesmo.

Um dia houve uma guerra tão definitiva que rompeu o mundo, e no girar da Roda do Tempo o que ficou na memória dos homens virou esteio das lendas. Como a que diz que, quando as forças tenebrosas se reerguerem, o poder de combatê-las renascerá em um único homem, o Dragão, que trará de volta a guerra e, de novo, tudo se fragmentará.
Nesse cenário em que trevas e redenção são igualmente temidas, vive Rand al’Thor, um jovem de uma vila pacata na região dos Dois Rios. É a época dos festejos de final de inverno — o mais rigoroso das últimas décadas —, e mesmo na agitação que antecipa o festival, chama a atenção a chegada de uma misteriosa forasteira.
Quando a vila é invadida por bestas que para a maioria dos homens pertenciam apenas ao universo das lendas, a mulher não só ajuda Rand e seus amigos a escapar dali, como os conduz àquela que será a maior de todas as jornadas. A desconhecida é uma Aes Sedai, artífice do poder que move a Roda do Tempo, e acredita que Rand seja o profético Dragão Renascido — aquele que poderá salvar ou destruir o mundo.

~

Esse começo da história foi bem bacana! Curti o ritmo da história, apesar de haver algumas partes que eu achei um pouquinho chatas; eu estava um pouco ansioso pra ver bastante ação (isso tem bastante, não dá pra reclamar da falta).

Logo nesse primeiro livro já dá para perceber que o worldbuilding é bem amarrado e enorme, e como não pode faltar em Fantasia Épica teve muita andança e também teve bastante daquela característica de parar a história para explicar conceitos mas o autor soube equilibrar bem esse último item.

Uma coisa interessante foi a ‘separação’ do grupo principal em grupos menores; apesar de não ter sido algo bom na história, a divisão fez com que cada personagem tivesse um bom tempo de desenvolvimento.

Aproveitando pra comentar sobre o grupo principal: temos o Rand (praticamente o protagonista) e seus amigos Mat e Perrin; temos Egwene (meio que a prometida de Rand) e Nynaeve, a Sabedoria da vila em Dois Rios, que tentou resgatar os jovens mas acabou acompanhando-os na jornada. Para completar temos Moiraine, Lan e Loial - a Aes Sedai que veio resgatar os rapazes, seu respectivo Guardião e um Ogier (uma raça de construtores antiquíssima, resumindo horrivelmente). O grupo aumenta e diminui conforme a história avança, mas fica em torno desses personagens.

Apesar de ter gostado desse primeiro livro, eu acabei achando ele muito padrãozinho de Fantasia Épica. Fiz algumas pesquisas e pelo que entendi, Jordan adotou esse estilo de escrita para que a história tivesse uma adesão maior. Realmente, já estou no livro 4 da série e o estilo de escrita do primeiro para os outros é facilmente identificável. Jordan bebeu bastante da fonte do Tolkien para escrever O Olho do Mundo, mas isso não é um empecilho para apreciar a história.

Aparentemente o autor também fez uma ou outra referência a Frank Herbert e sua Duna: as Aes Sedai me lembram muito a organização Bene Gesserit (mulheres com poderes ‘sobrenaturais’ e influência fortisíssima em altas esferas de poder. Também sofrem forte preconceito das pessoas de fora da organização).

SPOILERS ABAIXO

Geralmente em livros de fantasia sempre tem alguma coisa que me faz passar raiva, e eu acabo falando que ‘vou dar um tiro’ no autor. O momento ‘vou dar um tiro no Jordan (parte 1 de 14)’ é quando a Nynaeve se declara pro Lan. O momento foi bonito e doeu no coração mas MULHER NAO TINHA UM MOMENTO PIOR? VOCES ESTAVAM NA BEIRA DA PRAGA E VOCÊ SE DECLARANDO PRA UM GUARDIÃO!!!!

FIM DOS SPOILERS

Enfim, recomendo esse primeiro livro por enquanto. Vamos ver como o resto se sai daqui pra frente :)


Como dito anteriormente, os cinco primeiros livros da série estão disponíveis em formato físico (nas principais livrarias) e e-book através da editora Intrínseca.



Até mais leitores!

Comentários