Pular para o conteúdo principal

Hora de Ler: A Menina que Semeava - Lou Aronica



Ai meu deus... Mais um daqueles livros que nem sei por onde começar, de tão awesome!

Becky é uma adolescente de 14 anos, que descobre aos 5 um câncer, e desde então seu pai Chris cria uma história com ela, um universo único onde eles construiram durante esse tempo todo na hora de dormir, o reino de Tamarisk. Nele temos um rei, uma rainha e a filha deles, Miea que devido a uma tragédia que acometeu seus pais se torna a rainha do lugar. Além disso uma praga se alastra por toda Tamarisk, eles dependem das plantas para tudo e essa praga pode dizimar de uma vez o "país" inteiro.

As relações entre Chris e Polly (sua ex-esposa) estão mais complicadas do que nunca, ele sai de casa e compartilha a guarda de Becky com ela o que se torna muito difícil para ambos, pai e filha, muito ligados.
Ele e Becky são como melhores amigos, procura sempre ficar por dentro do que a filha ouve, sai para jantar e ela aguarda ansiosa a chegada da sexta-feira.

[...] Eles chamam o reino de Tamarisk - por causa de uma árvore que Becky adorava, de um de seus livros de figuras sobre a vida das plantas que Chris havia comprado para ela - [...]

O futuro de Tamarisk depende inteira e unicamente de Becky e Chris, só eles podem salvá-los da praga. Em contra partida Polly acha isso tudo uma bobagem, e só de ouvir a "palavra mágica" fica alterada, briga com o marido e quem mais insistir em tocar no assunto (geralmente Becky tentando-a convencer). A surpresa fica por conta do dia em que Becky sem querer consegue chegar nessa nova dimensão criada por ela e seu querido pai...

~

É difícil lembrar dessa história sem os olhos encherem d'água, sério gente, tem uma carga emocional muito grande e ao mesmo tempo muita magia. O último livro que eu lembro de ter me emocionado TANTO foi Ponte para Terabítia, mas esse ultrapassou os limites e cheguei a soluçar. Inicialmente a história de Tamarisk é muito chatinha pelo simples fato de não estar familiarizado com nada, aqueles nomes estranhos, uma hierarquia diferente e essas coisas comum em livros de fantasia, mas lá pelo 5° capítulo fica impossível largar o livro para saber o que irá acontecer com o reino. A surpresa mesmo fica quando descobrimos que Tamarisk é real (acreditem, não é spoiler) aí é só amor.

O final surpreende, Polly (a mãe de Becky) finalmente se rende e acredita nisso tudo em respeito á filha, o amor de Chris com ela, até Al (padrasto dela) tem compaixão nessa parte apesar deles sempre terem se dado bem. Me senti amigo de íntimo de Becky durante toda a obra, a amizade dela com Lonnie é linda, as duas NUNCA brigaram uma coisa bem inocente mesmo se tratando de adolescentes. Os encontros que Lisa marca para Chris também são hilários pois nenhum dá certo, fazendo contraste com a história da praga e a doença de sua filha.

O cheiro de Tamarisk era doce. Lembrava o cheiro de chocolate e da framboesa de que Becky tanto gostava.

Enfiim, não tenho do que reclamar da obra, LINDA a começar pela capa, essa da Novo Conceito dá de mil a zero na original que é azul e só tem o título "Blue" na capa. Ah, no kit vem um perfume com a essência de Tamarisk que inicialmente eu achei forte e doce demais, mas quando terminei o livro e sinto o cheiro começa o ataque de choro. 5 estrelas + favorito eterno, livro lindo (mais uma vez) vocês tem que se permitirem viajar para Tamarisk ;,)

BONUS: Esse não é o primeiro livro do autor, ele também está por trás de uma série de ficção científica chamada Full Spectrum suuuper famosa lá fora, e o mais recente lançamento (de janeiro 2013) The Forever Year.

A Menina que Semeava, tem um "prequel" uma introdução, prelúdio ou como queiram chamar, que infelizmente não foi traduzida ALÔ NOVO CONCEITO Until Again que pretendo ler pra ontem! (inclusive já comprei HAHAHA) Gostaria muito que a NC tivesse traduzido e lançado em ebook (momento mimimi) e não volto para falar sobre "o conto" depois aqui, posso dar um breve comentário do próximo Leituras no Mês.

Dica extra: Se quiser entrar bem no clima, indico o Unimagine do Hands Like Houses, álbum lindo que te deixa bem no universo Tamariskiano :D