Hora de Ler: O Dragão Renascido (A Roda do Tempo #3) - Robert Jordan


Oláaaaaa leitores do Tedio! Tudo bem com vcs? 

Continuando no ritmo (atrasado, por sinal), trago a vocês o review do terceiro livro da série A Roda do Tempo: O Dragão Renascido. Se você chegou nessa página, não conhece nada da série e quer saber um pouco mais, leia esse post. 
Também estamos no meio de um Especial Surpresa, onde teremos resenhas mensais da série até abril, mês de lançamento do sexto livro da série. Enjoy the trip 😀 



As profecias do Dragão predizem que a Pedra de Tear, a lendária fortaleza, cairá quando Callandor, A Espada Que Não Pode Ser Tocada, for empunhada pelo Dragão. Será um dos sinais de que ele de fato renasceu e que a Última Batalha se aproxima. Rand al’Thor, recém-proclamado Dragão Renascido, ainda tem dúvidas sobre seu destino, e decide que é hora de partir sozinho em sua jornada. 

Enquanto isso, NynaeveEgwene e Elayne seguem para Tar Valon, onde Mat precisa ser Curado ou morrerá. Entretanto, com a presença da Ajah Negra na Torre Branca, as jovens logo descobrem que correm perigo. Perrin, por sua vez, acompanha Moiraine na busca por Rand. Todos os caminhos parecem levar a Tear, onde o Dragão Renascido enfrentará um desafio que pode pôr tudo a perder. 

~ 

O ritmo da história continua a todo o vapor aqui. Acabei que perdi um pouco do pique neste livro, mas acho que o culpado foi o livro anterior - a transição do primeiro para o segundo foi ótima, como citei na resenha anterior; a transição do segundo para o terceiro manteve a qualidade, mas como não tive essa surpresa acabei que murchei um pouco.  

Uma coisa que reparei é que do segundo livro em diante parece que rola uma coisa meio Previously On Wheel Of Time’, mas não exatamente de um jeito positivo. O autor re-descreve características de personagens e lugares onde não há necessidade de fazê-lo. Comentei isso com o Amanto e ele argumentou que seria um possível mecanismo para refrescar a memória dos leitores devido ao tempo de publicação entre dois livros, mas isso meio que cai por terra porque o tempo de publicação das primeiras edições do segundo ao sexto livro giram em torno de 10 a 12 meses 

Depois dos acontecimentos finais do livro anterior o grupo original se separou novamente:  

  • Egwene, NynaeveMat Elayne (uma personagem que não citei anteriormente, a filha-herdeira de um dos reinos) voltam para Tar ValonMat ainda está doente e quase morrendo, e precisa ser levado urgentemente à Torre Branca para ser Curado;  
  • Rand, PerrinMoiraineLoialMin e os soldados da comitiva da Trombeta se escondem em algum lugar ao sudoeste de Dois Rios (sem muito sucesso). Após um ataque de TrollocsRand resolve ir embora do acampamento sem avisar ninguém, e logo depois disso o grupo que acompanhava Rand descobre que ele está indo para a cidade-fortaleza de Tear, para poder cumprir de uma vez as profecias que o cercam e assim acelerar os acontecimentos até a Última Batalha.  
Além do grupo principal, temos novamente POVs dos Amigos das Trevas (especialmente de um personagem do primeiro livro que aparenta ser pior do que se imaginava), e também POV direto da Torre Branca, especialmente da líder das Aes Sedai, que é uma das mais interessadas em como Rand se comporta nessa transição para o Dragão Renascido. 

Novamente, muita andança (idas e voltas, encontros e desencontros), muito infodump e ainda mais entrega de mitologia e história das Eras. Dessa vez ficou um pouco cansativo por causa do Previously On Wheel Of Time’ que as vezes aparece junto. Inclusive, este é o primeiro livro em que uma espécie de ‘universo paralelo’ especial é citado: o Tel’aran’rhiod, um mundo que pode ser acessado por sonhos e que “permeia” todos os mundos paralelos. Quem nos ‘apresenta’ esse novo mundo é Egwene, que descobre também ter essa habilidade.  

Inclusive a Egwene ficou muito nojentinha desde o livro anterior. Ela tem suas razões mas fica muito insuportável. Nynaeve continua a turrona de sempre, ainda querendo detonar as Aes Sedai (especialmente a Moiraine) e ainda caidinha pelo Lan, ainda maravilhosa do jeito dela.  

Assim como nos outros livros, no final a Equipe Dois Rios (TM) se reúne, e ocorre mais uma grande batalha, dessa vez em TearAparecem algumas boas descobertas sobre o... ... passado de Rand, digamos assim. Também se descobre que o perigoso povo Aiel, bastante isolado dos outros reinos cultural e geograficamente, tem uma importante ligação com Rand. 

O momento "vou dar um tiro no Jordan (parte 3 de 14)": dessa vez a pirralhice da Egwene encheu um pouco o saco. Get your shit together! 



Relembrando: os 5 primeiros livros já foram publicados pela Intrínseca, o sexto está vindo aí. A saga está disponível nos formatos físico e digital, à venda nas principais livrarias do país.  

Até mais, queridos e queridas! 

Comentários