Hora de Ler: Piano Vermelho - Josh Malerman


E aí galerinha, tudo bem?! Por aqui a semana tá frenética e como não posso parar, hoje trago um thriller daqueles que você não solta nem para dormir de tão intenso, preparados?!

Ex-ícones da cena musical de Detroit, os Danes estão mergulhados no ostracismo. Sem emplacar nenhum novo hit, eles trabalham trancados em estúdio produzindo outras bandas, enchendo a cara e se dedicando com reverência à criação - ou, no caso, à ausência dela. Uma rotina interrompida pela visita de um funcionário misterioso do governo dos Estados Unidos, com um convite mais misterioso ainda: uma viagem a um deserto na África para investigar a origem de um som desconhecido que carrega em suas ondas um enorme poder de destruição.

Liderados pelo pianista Philip Tonka, os Danes se juntam a um pelotão insólito em uma jornada pelas entranhas mortais do deserto. A viagem, assustadora e cheia de enigmas, leva Tonka para o centro de uma intrincada conspiração

~

AIMEUDEUSQUELIVROÉSSE???! Quem me acompanha no instagram sabe que eu tava numa ressaca desgraçada por conta de Emma Cline mas esse livro veio para literalmente salvar a pátria, e me instigar com gosto. A trama já começa com Phillip hospitalizado, não gosto desse recurso que me deixa desorientado no começo, bem aos poucos as coisas se encaixam e você consegue se localizar na história, o que dá uma satisfação maior pois te fez pensar mais.

Voltando ao enredo. É de fato um thriller psicológico, de início poderia ser apenas mais um romance policial, uma pena que Josh Malerman nos surpreende positivamente mudando todo o curso do que conhecemos como "policial" virando o mundo criado no livro de ponta cabeça. A história se passa em 1957 e me atrapalhou um pouco esse clima vintage mas logo me acostumei com a atmosfera; o ambiente hospitalar é bem hostil por se tratar de militares e descobrimos que os caras são extremamente práticos, para não dizer frios, no decorrer da trama.

Pensa numa música que destrói todos os seus ossos de uma maneira que nem a mais potente bomba nuclear seria capaz. É atrás disso que Phillip e os amigos da banda The Danes vão atrás no deserto, para tentar descobrir a fonte e o motivo dessa melodia mortal nunca ter parado. É agoniante a descrição que o autor faz aos personagens ouvindo "a música", não cheguei a passar maaaal mas deu um "negoço" lendo aquilo, o que acho ótimo pois essa é a proposta de um thriller psicológico.

A EXPLICAÇÃO do som aparece no final, apesar de ter curtido MUITO o livro achei que foi corrido, poderia ter se aprofundado. Fiquei satisfeito pois o livro poderia ter um "final aberto" e isso sim me incomoda profundamente. Eu não tenho o costume de ler esse gênero apesar de gostar mas evito justamente pelos clichês que se encontram por aí, e a fórmula previsível da qual muitos autores fazem uso tornado tudo mais do mesmo.

O kit que chegou aqui é uma "fofura" pois todos os brindes tem relação direta com a história, e achei uma delícia essa proximidade oferecida pela editora, nota 10 pro kit!

💙💙💙
Veio uma garrafinha com a droga que ele usa, uma "braçadeira" ao redor do livro, A RECEITA médica de Phillip e não menos importante: tampões intra auriculares. Tudo isso tem ligação com a história e aos poucos vamos descobrindo isso, repito que achei incrível interagir dessa forma, sem dúvidas que tornou a leitura mais especial ainda. PS: e sem spoiler sobre cada objeto para não estragar a surpresa quando forem ler.

Ah, e tem uma cartinha toda fofa do autor também 💙


Bem, recomendo a obra para quem tá "travado" há um tempo sem ler, SUPER recomendo para quem já gosta de thriller/literatura policial pois vai se deleitar ainda mais.

Apesar do final corrido não posso dar menos que 4 estrelas, porque o cara conseguiu inovar, sem falar que a escrita dele além de fluir tem umas peculiaridades na estrutura que tornaram o livro incrível por assim dizer. LEIAM!

Comentários